Madeira e São Miguel – informações a reter

A Madeira e São Miguel, nos Açores, são ótimos destinos de férias. Podem ser visitadas durante todo o ano e a preços consideravelmente mais baixos do que outras congéneres europeias. O que não falta são coisas para ver. E para comprar. Neste artigo encontra tudo aquilo que precisa, resumidamente, saber. Quando ir, como ir, o que vestir, o que comprar, que cuidados de saúde deve ter e, acima de tudo, o que não pode mesmo deixar de visitar. Programe tudo desde já. E vá para fora, cá dentro.

Quando ir

A Páscoa e os meses de Julho e de Agosto são as épocas mais altas da Madeira e de São Miguel. Os preços dos hotéis e dos apartamentos disparam por isso mesmo. Para fugir da confusão do turismo e da subida dos preços opte por ir, por exemplo, em Junho ou em Setembro quando tudo está mais calmo nas ilhas e o tempo é perfeito. Senão se importar com a confusão do turismo também pode optar por ir à Madeira em Maio, mês em que tradicionalmente se realiza a Festa da Flor.

O tempo

Na Madeira o clima é suave subtropical e as temperaturas mantêm-se amenas todo o ano, oscilando entre os 17 e os 29 graus. A época mais chuvosa, principalmente na costa norte, vai de Outubro a Fevereiro. Já nos Açores, em São Miguel, o clima é temperado marítimo (ou oceânico), há sempre muita humidade no ar, chuvas regulares todo o ano e as temperaturas variam pouco, não descendo dos 13 graus no Inverno e não ultrapassando os 23 no Verão. Deve ter sempre em conta que, ali, o clima é muito influenciado pelo anticiclone dos Açores. Ainda assim, a melhor altura para viajar para São Miguel é na Primavera (de Março a Junho) e no Verão (de Junho a Setembro).

O que vestir e levar

Pelo facto de as temperaturas serem mais amenas nas ilhas o ano inteiro, principalmente no Inverno europeu, deve levar roupas leves para vestir durante o dia. Caso pretenda sair à noite, no Inverno, deve reforçar um pouco as camadas de roupa. Caso pretenda realizar caminhadas, deve levar roupa prática, lanterna e ténis antiderrapantes. Em São Miguel deve incluir também na sua mala roupas e casacos impermeáveis devido à ocorrência regular de chuvadas. E ainda fatos de banho velhos para serem usados no vale das Furnas. Na Madeira, no verão, poderá levar repelente para mosquitos na mala. No passado a ilha teve alguns casos, pontuais, de dengue.

Documentação necessária

Os visitantes estrangeiros estão isentos de visto e podem ficar nas ilhas por um período de 90 dias, desde que tenham um bilhete de identidade da União Europeia ou um passaporte válidos. Exceptuando uma embaixada italiana em Ponta Delgada, não há embaixadas por ali. As mesmas estão situadas em Lisboa. No Funchal, porém, há vários consulados. 

Electricidade e água

A potência elétrica é de 220 voltas e as tomadas de dois pinos. São necessários adaptadores para fichas que não sejam continentais e transformadores para os aparelhos cuja potência é de 110 volts. A água da torneira é potável e pode ser bebida sem qualquer problema, tanto numa ilha como na outra.

Fusos horários

Na Madeira, o fuso horário é o mesmo que em Portugal Continental e, por exemplo, em Londres. Já em São Miguel, o fuso horário é de menos uma hora relativamente a Lisboa ou a Londres.

Línguas faladas

A língua oficial em ambas as ilhas é o português. Nos principais pontos turísticos e nos restaurantes das ilhas fala-se fluentemente inglês. Em alguns locais, principalmente na Madeira, também se fala espanhol, francês e alemão.

Como chegar

A melhor maneira de chegar à Madeira e a São Miguel é de avião. A TAP Air Portugal tem à volta de 10 voos diários para a Madeira (8 de Lisboa e 2 do Porto) e cerca de 4 por dia para Ponta Delgada (3 de Lisboa e 1 do porto). A Azores Airlines, companhia regional açoreana, também voa diretamente para Portugal continental. A empresa liga ainda o arquipélago de forma direta aos EUA e ao Canadá. As companhias low cost também operam para as ilhas. A Easyjet e a Transavia voam para a Madeira e a Ryanair para Ponta Delgada. Há imensos voos charter para a Madeira e um cada vez maior número de companhias a operar para lá com regularidade. Para Ponta Delgada o número de companhias a operar diretamente dos seus hubs é inferior, embora este esteja a crescer ano após ano.

Como se deslocar

O ideal para se deslocar pelas ilhas é alugar um carro nas concessionárias locais. Há também tours de visitas organizados pelas agências de turismo locais. Os parques de estacionamento no Funchal e em Ponta Delgada são, na sua maioria, pagos. Também noutras cidades espalhadas pelas ilhas há áreas de estacionamento pagos. Deve prestar sempre atenção na hora de estacionar o seu veículos. A moeda utilizada é o Euro.

Cuidados de saúde

Não são necessárias grandes preocupações em termos de saúde para ir para as ilhas. Para a Madeira, poderá levar, porém, repelente para mosquitos caso seja facilmente ‘atacado’. Ainda na Madeira é aconselhável levar e usar protetor solar o ano inteiro porque é fácil sofrer por ali queimaduras solares. Tanto no Funchal, como em Ponta Delgada, em São Miguel, há hospitais. Há centros de saúde e farmácias espalhadas por toda a ilha.

O que visitar

Tanto na Madeira como em São Miguel, cinco dias são suficientes para conhecer cada uma das ilhas. Alugue um carro e percorra-as de lés a lés com as sugestões de roteiros que aqui deixei ao longo de semanas. A recordar:

a) Madeira

1 – A costa Norte – Santana, Pico Ruivo, Rocha do Navio, grutas de São Vicente, Seixal, piscinas naturais de Porto Moniz e farol da Ponta do Pargo;

2 – O interior – Pico do Arieiro, viveiros de trutas em Ribeiro Frio, conchas no Poiso, Paúl da Serra, Eira do Serrado e Curral das Freiras;

3 – Zona oeste – Câmara de Lobos, cabo Girão, Fajã dos Padres, Ribeira Brava, Ponta do Sol, Calheta e Jardim do Mar;

4 – Zona leste – Ponta de São Lourenço, Prainha, museu da baleia do Caniçal, Machico, Santa Cruz e Cristo-Rei, Garajau;

5 – Funchal e arredores (jardim botânico, Monte e descida de cestos).

b) São Miguel

1 – A costa Norte – Sete Cidades, Ribeira Grande, miradouros vários, lagoa de São Brás, fábrica de chá Gorreana e parque natural da Ribeira dos Caldeirões;

2 – O centro e o ilhéu de Vila Franca do Campo – plantação de ananases em Fajã de Baixo, Caldeira Velha, lagoa do Fogo, Ermida de Nossa Senhora da Paz e ilhéu de Vila Franca do Campo;

3 – A zona leste – Nordeste, farol do Arnel, miradouros vários, Povoação e Ribeira Quente;

4 – O vale das Furnas – lagoa do Congro, miradouros vários, lagoa, vila e caldeiras das Furnas, Parque Terra Nostra e Poça da Dona Beija;

5 – Ponta Delgada.

Atividades a não perder

As ilhas oferecem ainda uma grande variedade de atividades que poderá fazer além do turismo. Tanto na Madeira como em São Miguel há circuitos especializados de caminhadas para aqueles que gostam de trekking. Na Madeira poderá ainda usufruir de campos de golfe, ver a vida marinha, praticar mergulho, fazer escalada, entre outras. Em São Miguel, tal como no resto dos Açores, há uma maior predileção pela observação de baleias, pelo mergulho e observação submarinas, pela promoção de circuitos termais e, ainda, observação de fenómenos de vulcanismo e de geotermia.

O que comprar

Há produtos que não pode deixar de comprar se visitar a Madeira ou São Miguel. Os bordados, o vinho da Madeira, os licores, as flores, o bolo de mel e os ossos de baleia trabalhados são típicos da Madeira. Já dos Açores poderá levar artesanato, o típico ananás, queijos diversos produzidos no arquipélago, bolos lêvedos, chá, pimenta da terra, doçaria, vinhos e licores regionais.

BOA VIAGEM 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *