O legado multicultural e religioso de Córdoba

Situada no interior da região da Andaluzia, no sul de Espanha, Córdoba tem uma rica história multicultural e religiosa, fruto de um passado de convívio pacífico de muçulmanos, cristãos e judeus no local. Esta política de tolerância levou Córdoba ao auge no séc. X e transformou-a no principal centro científico e espiritual do Ocidente. Não é exagero dizer que Córdoba já foi por isso mesmo a cidade mais importante de todo o mundo Ocidental. Esse legado levou a Unesco, em 1994, a declarar Córdoba como Património Mundial da Humanidade. Muitos edifícios históricos dessa época de convivência religiosa estão de boa saúde e justificam uma visita. Nem que seja para ver um monumento que é único em todo o mundo. Duvida? Então responda: onde pode ver noutro local uma mesquita com uma catedral gótica no seu interior? Resposta: só em Córdoba.

Parta por este motivo à descoberta da cidade. O ideal será estacionar o carro perto da Torre de la Calahorra, num dos muitos parques de estacionamento pagos na cidade, na margem oposta à do centro histórico. Depois de visitar a torre e de se deslumbrar com as vistas do que ainda vai poder ver melhor durante o resto do dia, cruze a antiga ponte romana sobre o Guadalquivir e vá sem demora até à jóia da cidade: a mesquita-catedral. O interior vai deixá-lo de boca aberta. Aqui ficam os principais pontos de interesse da cidade.

Pontos de interesse:

Torre de la Calahorra e Ponte Romana

Situada às margens do rio Guadalquivir, a Torre de la Calahorra é um bom local para começar a explorar a cidade a pé. Ou para se despedir, caso queira. A torre tem no seu interior um museu que permite compreender a presença muçulmana na Andaluzia e a vida na cidade quando estes conviviam com cristãos e judeus. A entrada no ‘Museu Vivo do Al-Andaluz’ custa 4,5€. O espaço está em funcionamento diariamente, das 10h às 18h. Do topo da torre é possível obter vistas estonteantes do rio, da ponte romana e do centro histórico da cidade, com a mesquita-catedral bem no centro.

Torre de la Calahorra
Vistas desde a Torre de la Calahorra sobre a ponte romana e o centro histórico de Córdoba

A ponte pedonal, de arcos, que atravessa o Guadalquivir ligando as duas margens da cidade foi construída no séc. I d.C. Os Romanos são os responsáveis pela sua conclusão e os Mouros, mais tarde, pela sua reconstrução. A ponte romana ainda tem no seu centro uma estátua do arcanjo Gabriel, à frente da qual a população ainda hoje em dia deposita flores como agradecimento por este ter salvo Córdoba na altura da peste negra. Hoje em dia, a ponte é muito utilizada pelos habitantes locais para passeios ou para a simples prática de exercício físico.

Ponte romana de Córdoba com a torre no fundo

Mesquita-Catedral

A mesquita-catedral de Córdoba é sem sombra de dúvidas a maior atração turística da cidade. Por isso mesmo, deve ser vista sem pressas. A mesquita tem no seu interior uma catedral de estilo gótico. A união dos dois estilos arquitectónicos, autorizada pelo imperador Carlos V, apesar de parecer incongruente, é perfeita e esplêndida. Essa fusão acabou por dar origem a uma obra-prima única, referência em toda a arquitectura mundial. O projecto que mistura os dois estilos deriva do período da Reconquista e foi levado a cabo ignorando os desejos do então presidente da câmara da cidade.

Mesquita-Catedral de Córdoba
Torre sineira da Mesquita-Catedral de Córdoba

A mesquita original foi mandada construir pelo califa Abd el-Rahman em 786 d.C., sobre os restos da antiga igreja visigoda de San Vicente, dando início ao estilo arquitectónico califal, repleto de elementos góticos, bizantinos, sírios e persas. A mesquita-catedral de Córdoba é por isso mesmo grandiosa e exala misticismo. É difícil descrevê-la. O seu interior é dominado por um ‘mar’ de diversas colunas (no total 856), de mármore e granito, e arcos que induzem a um estado meditativo, tal como pretendido pelo Islão. A jóia da mesquita é um mihrab do séc. X virado para Meca e ornamentado com alguns dos melhores mosaicos bizantinos que existem. No passado, algumas das colunas originais foram retiradas e emparedadas, abrindo espaço para a construção da catedral católica. Há séculos que o local permanece por isso mesmo um espaço cristão. No interior, as capelas Villaviciosa e Real são alguns dos melhores acrescentos cristãos feitos no local.

Interior da Mesquita-Catedral de Córdoba
Interior da Mesquita-Catedral de Córdoba

Actualmente, a entrada na mesquita-catedral só é feita através da Puerta del Perdón, de estilo mudéjar, construída em 1377. É no seu interior, no Pátio de los Naranjos, que os bilhetes de entrada podem ser adquiridos. Para adultos, o preço é de 10€, mas cai para metade se for para crianças. O local está aberto de Segundas a Sábados das 10h às 18h e aos Domingos e feriados das 08:30 às 11:30 e das 15h às 18h.

Puerta del Perdón, Mesquita-Catedral de Córdoba
Torre da Mesquita-Catedral de Córdoba e Pátio de los Naranjos

Alcázar de los Reyes Cristianos

Perto da mesquita-catedral está localizado um palácio fortificado que data do séc. XIV e cuja visita vale muita a pena. O Alcázar de los Reyes Cristianos, assim se chama o palácio, foi originalmente construído pelos califas de Córdoba. Mais tarde, os reis Alfonso XI e Fernando II viriam a modificar e a ampliar, respectivamente, o espaço. O palácio era a residência oficial dos reis durante as suas estadias em Córdoba no período da reconquista de Granada aos Mouros. O Alcázar de los Reyes Cristianos foi mais tarde sendo usado pela Inquisição como prisão.

Pátio interior do Alcázar de los Reyes Cristianos
Vistas desde o Alcázar de los Reyes Cristianos

O Ayuntamiento de Córdoba (câmara municipal) adquiriu o edifício no século passado, dotando-o de terraços ajardinados, repletos de fontes e de estátuas de todos os reis que já passaram pelo local. No seu interior, de entre outros pontos de interesse, não pode deixar de ver a casa de banho real, um conjunto muito antigo e importante de mosaicos romanos e um sarcófago do séc. III d.C. A entrada custa 4,5€. O local está aberto de 3ª a 6ª Feira das 08:30 às 20:15. Aos Sábados, Domingos e feriados abre à mesma hora, mas encerra às 16h e às 14 horas, respectivamente. Encerra às Segundas-Feiras.

Alcázar de los Reyes Cristianos

Caballerizas Reales

As Caballerizas Reales, cavalariças reais em português, estão localizadas quase ao lado do Alcázar de los Reyes Cristianos. Felipe II foi o grande impulsionador da sua construção, em 1567. Objectivo: criar cavalos de pura raça Andaluz. A câmara municipal da cidade adquiriu o edifício há alguns anos, transformando o espaço num local destinado a eventos culturais relacionados com o animal. Ainda é possível ver inúmeros cavalos da raça em treino ou num espectáculo equestre, à noite. Os preços dos espectáculos rondam os 15€. A entrada nas cavalariças é gratuita. O espaço está aberto de 3ª a Domingo das 10h às 13:30.

Caballerizas Reales
Caballerizas Reales

Judería, Sinagoga e Puerta de Almodovar

A Judería é uma labiríntica e intrincada zona de ruas muito estreitas e de casas caiadas de branco localizada bem nas traseiras da Mesquita-Catedral de Córdoba. O bairro tem origem judaica, nasceu no séc. X e o seu interior fervilha atualmente com o comércio de produtos típicos da região. Um dos maiores pontos de interesse da zona é a existência de uma sinagoga do séc. XIV, construída em estilo mudéjar. A sinagoga está localizada na calle Judíos e é uma das poucas do seu género a chegar intacta até aos dias de hoje. A entrada no seu interior é gratuita para os portadores de cartões da União Europeia. Para todos os outros turistas, a entrada é paga e tem um custo de 30 cêntimos. A sinagoga está aberta das 09h às 15h de Terças a Domingos. Uma das principais entradas para a zona é feita pela Puerta de Almodovar.

Rua da Judería com a Mesquita-Catedral de Córdoba, ao centro
Rua da Judería
Entrada da Sinagoga
Panorâmica do interior da singagoga
Puerta de Almodovar

Pátios de Córdoba e Calleja de las Flores

Outro dos motivos de interesse na Judería são os pátios das casas, tipicamente cordobenses. Os pátios rectangulares existentes nas habitações locais foram a solução encontrada pelos moradores para fazer face ao clima extremamente quente e seco que sempre se fez sentir na cidade. Tipicamente, o pátio está  localizado no centro da casa, sendo que as restantes divisões se distribuem ao seu redor. Os pátios estão cheios de vegetação e flores funcionando como uma espécie de oásis para os habitantes da cidade. A ornamentação destes pátios com flores e outras plantas deu origem à competição anual ‘Fiesta de los Pátios de Córdoba’, destinada a eleger o pátio mais bonito em toda a cidade. A competição decorre durante o mês de Maio. É possível visitar alguns destes pátios de forma gratuita. Há um bem bonito, chamado ‘Zoco Municipal’, localizado quase ao lado da sinagoga, na calle Judíos.

Pátio tipicamente cordobês

À semelhança destes pátios, também a Calleja de las Flores merece ser visitada. Trata-se de um beco sem saída, tipicamente Andaluz e único, repleto de vasos de flores que dão vida ao branco das casas caiadas em seu redor.

Calleja de las Flores
Calleja de las Flores

Plaza de la Corredera

Um pouco mais distante, a Plaza de la Corredera é um ótimo local para beber uma caña (cerveja) e se despedir da cidade. O local é um dos mais característicos da cidade e de toda a Andaluzia, não fosse esta praça a única de formato quadrangular em toda a região.

Plaza de la Corredera

Sugestão de restaurante:

Bodega Taberna Rafaé – localizado bem no centro do bairro da Judería, ao lado da Calleja de las Flores e da Mesquita-Catedral, este restaurante serve pratos típicos de Córdoba a preços bem acessíveis. Aproveite para experimentar o tradicional ‘Rabo de Toro’.

Sugestão de hotel:

Hotel Abetos del Maestro Escuela – o melhor hotel deste circuito pessoal na região da Andaluzia. O ‘Abetos del Maestro Escuela’ tem um excelente pequeno-almoço e boas instalações, de onde se destacam os quartos amplos, a piscina e o enorme pátio de boas-vindas. Único senão: fica longe do centro da cidade, nas imediações de Córdoba. Não é uma escolha para quem não tiver carro próprio para se deslocar.

Mais informações aqui.

distância de carro, mérida – córdoba:

De Mérida a Córdoba, programe mais 2h40 de viagem de carro, ou seja, prepare-se para fazer quase 250 quilómetros. O melhor caminho será tomar a A66 espanhola desde Mérida, cujo custo é gratuito, e sair na saída 267 para a N-432. Depois, é só percorrer a totalidade da nacional até à cidade de Córdoba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *