Sal: conselhos e dicas a reter

Cabo Verde, e a ilha do Sal em particular, vão proporcionar-lhe umas férias de sonho, a apenas quatro horas de avião de Portugal. Aproveite que ali está para relaxar e apanhar sol. Pode ir o ano inteiro, caso tenha o passaporte válido. O visto turístico tira-se à entrada. Não precisa de ter grandes cuidados de saúde. Apenas incluir na mala protector solar, os medicamentos habituais e repelente para insetos. A língua oficial é a portuguesa e não há grandes índices de criminalidade por ali. Aventure-se, por isso, a sair fora do seu hotel e percorra a ilha de lés-a-lés. Aqui encontrará uma série de dicas e tudo aquilo que precisa de saber para aproveitar ao máxima a sua estadia na ilha do Sal. Vá, sem medos. E lembre-se: ali é mesmo ‘Nõ Stress’.

Quando ir

Cabo Verde pode ser visitada o ano inteiro. Há sol todo o ano, mas também muito vento. Os meses mais ventosos são tradicionalmente Janeiro, Fevereiro e Março. As temperaturas mantém-se mais ou menos idênticas em qualquer altura, embora os meses mais quentes e húmidos sejam os de Julho, Agosto e Setembro. É nestes dois últimos que ocorrem também as chuvadas mais intensas. Os meses mais interessantes para ir são, por isso mesmo, aqueles cujas noites são mais frescas: Maio, Junho, Outubro, Novembro e Dezembro.

Documentação necessária

É preciso ter passaporte com validade superior a 6 meses para ir para Cabo Verde. Na chegada tem ainda de tirar igualmente o visto de turista, no valor de 50 Euros, aproximadamente. Este visto também pode ser tratado com antecedência nas embaixadas do país, em Portugal, por preços mais reduzidos. Em breve, os turistas portugueses e os restantes europeus estarão isentos de visto à chegada ao país. A medida, que já devia estar implementada desde 2017, só deverá ir para a frente em Maio deste ano (2018).

Como chegar e como se deslocar entre as ilhas

A TAP Air Portugal tem voos diretos de Lisboa para a ilha do Sal. A companhia portuguesa voa ainda para a cidade de Praia, na ilha de Santiago, São Vicente e Boavista. Os TACV – Transportes Aéreos de Cabo Verde – também fazem a ligação entre o país e Portugal. Para o resto da Europa, os TACV voam diretamente para Paris e Amesterdão. No continente americano, a companhia cabo-verdiana voa para Providente (nos EUA) e Fortaleza e Recife (ambas no Brasil). Dentro do arquipélago de Cabo Verde, a melhor maneira de se deslocar é apanhando os ferries (no Sal, estes saem da vila de Palmeira) ou ainda um qualquer voo interno dos TACV.

Avião da TAP, D.R.

O que vestir e levar

O clima é tropical e seco durante todo o ano e as temperaturas atingem em média os 25 graus. Como tal, deve levar roupas leves (vestidos, calções, T-shirts) para usar durante o dia e um pouco mais quentes para usar à noite. Na mala de viagem não pode deixar de estar o fato de banho, chinelos de praia, protetor solar e pós solar. Também pode incluir na bagagem roupa prática, caso queira fazer excursões pela ilha do Sal, bem como crocs ou outro calçado antiderrapante, caso queira ver de perto os tubarões.

Onde ficar

Como referi em posts anteriores, a melhor zona para ficar na ilha é em Santa Maria, onde estão concentradas as melhores unidades hoteleiras do Sal. Contudo, o local é muito movimentado. Opte, por isso, por ficar instalado nos hotéis da cadeia RIU, em Ponta Preta.

Cuidados de saúde

Não é necessário levar vacinas específicas para viajar para Cabo Verde, inclusive a da febre amarela. Contudo, tem havido alguns casos de malária na ilha de Santiago, na Praia. Ainda assim, não é preciso fazer profilaxia. Contudo, caso tenha febre (cerca de 40 graus) e algum outro sintoma (como por exemplo dores musculares) deve dirigir-se de imediato ao hospital para fazer o despite da malária. As ilhas de Cabo Verde também têm, pontualmente, alguns casos de dengue. O ideal será levar repelente para mosquitos na mala e tomar as medidas necessárias para evitar picadas de mosquito. Destaco algumas: evitar estar junto de águas paradas ao amanhecer e anoitecer, evitar perfumes, usar repelente também de roupa e usar várias camadas de roupa. É aconselhável beber sempre água engarrafada e evitar saladas, molhos e outros alimentos crus. No Sal, há um hospital público, bem como um posto sanitário em Santa Maria.

Electricidade

A potência elétrica é igual à portuguesa, de 220 volts, e as tomadas de dois pinos.

Diferença horária e moeda local

No Sal, deve atrasar o seu relógio uma hora face ao horário português. Caso venha do resto da Europa (à excepção do Reino Unido), a diferença é de menos duas horas. A moeda local é o Escudo Cabo-verdiano. Um euro equivale a 110 escudos cabo-verdianos. A moeda europeia é usada com facilidade na ilha e serve para pagar tours turísticos.

Moeda local, D.R.

Língua oficial

A língua oficial é o português, embora se fale frequentemente inglês, francês e alemão nas unidades hoteleiras em Santa Maria, no Sal.

Segurança

Cabo Verde é um país seguro. A ilha do Sal também. Contudo, como em todo o lado, deve ter atenção aos seus pertences pessoais, especialmente na praia, para evitar surpresas desagradáveis. E deve estar bem atento quando visitar alguns dos locais mais turísticos da ilha, em especial na Buracona. São frequentes os relatos de roubos por ali.

O que comer

Nos hóteis, onde provavelmente se instalará, há de tudo um pouco, já que a maioria funciona em regime de buffet, com tudo incluído. Contudo, caso queira comer algum dia fora da sua unidade hoteleira, experimente o atum fresco ou o marisco local, especialmente a lagosta. Se está em Cabo Verde não pode ainda de deixar de provar o prato nacional: a cachupa. O prato é feito tendo por base o milho e o feijão e leva uma grande variedade de legumes, carne ou peixe. A cachupa é confeccionada de acordo com as possibilidades financeiras das famílias. Caso sejam mais abastadas, as famílias colocam no prato carne ou peixe dando origem à chamada ‘cachupa rica’. Caso sejam mais pobres, o prato é feito tendo apenas por base os legumes e hortaliças, a ‘cachupa pobre’. A cachupa é geralmente servida com ovo estrelado e linguiça como acompanhamento. Sendo o milho muito importante na gastronomia local, não deixe ainda de provar o xerém. Este prato é uma espécie de puré de milho que é feito como acompanhamento da carne ou do peixe.

Cachupa pobre

O que visitar

Como mencionei no post anterior, a ilha vê-se rapidamente em tours de um dia. Os itinerários levam-no a conhecer as salinas de Santa Maria, a Kite Beach, a baía da Murteira, a vila piscatória de Palmeira, a capital, Espargos, as piscinas naturais da Buracona, a Terra Boa, a baía dos Turbarões e as salinas de Pedra do Lume. Os outros dias aproveite para relaxar e fazer praia em Santa Maria ou em Ponta Preta. Vá ainda ao pontão de Santa Maria para ver os pescadores locais e passeie nas ruas da pequena vila.

Mapa da ilha do Sal, D.R.
Bandeira de Cabo Verde, D.R.

BOA VIAGEM

Leia aqui os restantes artigos sobre a ilha do Sal, em Cabo Verde:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *