Sal: um roteiro pela ‘ilha lunar’

A maior parte das atrações turísticas da ilha do Sal vê-se rapidamente em um dia, em excursões que duram apenas algumas horas. Os tours partem geralmente dos resorts e hóteis situados no sul, em Santa Maria ou Ponta Preta, prosseguindo depois para norte. Ao longo do caminho, as excursões vão parando nas principais pontos, nomeadamente as piscinas naturais da Buracona, as salinas de Pedra Lume, a vila de Palmeira e a capital da ilha, Espargos. Há roteiros que param ainda nas baías da Murdeira e da Parda, na Terra Boa, na ‘Kite’ Beach e nas salinas de Santa Maria. É precisamente aqui que começa este roteiro pela ‘ilha lunar’.

Salinas de Santa Maria

As salinas de Santa Maria estão localizadas nos arredores da vila com o mesmo nome, já na chamada costa da Fragata. Estão classificadas como Área Protegida. No passado, estas salinas tiveram grande influência no desenvolvimento económico da ilha e da vila propriamente dita. Contudo, foram perdendo importância ao longo do tempo em detrimento da explosão do turismo na área. Hoje em dia, as salinas ainda são exploradas por um pequeno número de pessoas. Em termos de área ocupada, as salinas de Santa Maria são mais pequenas do que as de Pedra de Lume.

Salinas de Santa Maria
Salinas de Santa Maria

Kite Beach

A Kite Beach, como é vulgarmente chamada pelos locais, é outro dos spots preferidos dos praticantes de surf, windsurf e kitesurf na ilha. Devido à existência constante de ventos favoráveis e agitação marítima, a praia é muito utilizada para a prática deste tipo de desportos. E esta está a aumentar cada vez mais. Há quem procure mesmo o Sal enquanto paraíso alternativo ao Hawai para deste tipo de desportos. Um bom exemplo disto é o do campeão do mundo de windsurf, Josh Angulo, que se instalou precisamente na ilha. Este abriu um centro desportivo onde dá aulas e aluga equipamento. Outro spot preferido dos desportistas é a praia de Ponta Preta.

Kite Beach
Kite Beach
Bar na Kite Beach

Baía da Murdeira

A baía da Murteira fica localizada um pouco mais a norte da vila de Santa Maria, a caminho da capital da ilha, Espargos. Há por ali algumas pequenas casas e um resort, cuja piscina e praia são acessíveis desde que se coma no bar ou no restaurante. A costa da baía é bastante rochosa e esconde algumas pequenas praias isoladas de água muito transparente e calma. Daqui é possível avistar o Monte Leão. Este é assim chamado pelo facto de a sua forma se assemelhar a um leão deitado. A baía da Murteira é rica em corais e espécies marinhas. As suas praias são também o local escolhido por alguns tipos de tartarugas para desovar. Por todos estes motivos, a baía da Murteira está classificada como Área Protegida.

Pequena praia na Murdeira
Monte Leão, desde a Murdeira

Palmeira

Palmeira é uma pequena vila piscatória localizada perto da capital, Espargos, já na zona norte. É aqui que está localizado o porto da ilha, que permite a chegada e saída de pessoas e de mercadorias para as outras ilhas do arquipélago. A maior parte da sua população vive única e exclusivamente da pesca.

Porto de Palmeira
Pescadores em Palmeira

Buracona

A Buracona é um dos maiores atrativos da ilha do Sal. Para lá chegar, é preciso percorrer uma estrada de terra batida ao longo de quase dez quilómetros desde a vila de Palmeira. A Buracona é assim chamada devido à existência de um buraco nas rochas, com água do mar no fundo, cujo tom de azul mais se assemelha a um grande e bonito olho azul. Este tom de azul só é visível em dias de sol, pelo que deve programar a visita ao local num dia de céu limpo. O local da Buracona foi alvo de obras de qualificação recentes, que dotaram o espaço de passadiços, um restaurante e balneários. Há imensos senegaleses e guineenses no local a vender artesanato e recuerdos de Cabo Verde de qualidade duvidosa.

Espaço da Buracona
O olho azul da Buracona
Restaurante na Buracona

Dentro do espaço da Buracona, há ainda uma piscina natural esculpida no meio de rochas vulcânicas onde é possível tomar bons banhos de mar desde que a ondulação e o vento o permitam. É um sítio recomendado para fazer um lanche rápido antes de prosseguir com a excursão ao resto da ilha. Junto da piscina natural, mas mais de difícil acesso, é possível ver uma caverna subaquática com água imensamente transparente e cheia de espécies marinhas.

Piscinas naturais da Buracona
Piscinas naturais da Buracona
Eu, nas piscinas naturais da Buracona
Caverna subaquática na Buracona

Terra Boa, a ‘Miragem’

Localizada bem no centro da ilha, a ‘Terra Boa’, como os locais lhe chamam, é a zona agrícola da ilha. É o único local em todo o Sal onde é possível nascer algumas culturas após chover. Ainda assim, o terreno é extremamente árido, plano e de tom acastanhado. Assemelha-se a uma verdadeira paisagem lunar. A terra é seca. É por isso que quando se olha para o horizonte se obtém aquilo que se chama de miragem. Há a impressão de ver ao longe água, mais precisamente um lago que parece banhar as poucas árvores que existem por ali. Pura ilusão de ótica. Na Terra Boa há um centro de artesanato com produtos feitos pela população local, de extrema qualidade. É possível chegar aqui desde a Buracona por estradas de terra batida.

Terra Boa
Terra Boa e miragem de água, ao fundo, no horizonte
Centro de artesanato em Terra Boa
Centro de artesanato em Terra Boa
Produção no centro de artesanato em Terra Boa

Espargos

Para chegar à Baía da Parda, é preciso atravessar os bairros de lata dos arredores de Espargos. A cidade é a capital da ilha e concentra a maior parte da população, dos serviços e do comércio. A cidade em si não tem muitos atrativos. Contudo, pode parar em alguns pequenos restaurantes para provar o prato típico do país, a cachupa. Espargos é muito utilizada ao longo das excursões para fazer a conexão dos pontos de maior interesse turístico na ilha.

Prato de cachupa

Baía DA PARDA (ou dos tubarões)

A Baía do Parda é o local por excelência da ilha onde é possível ver tubarões de perto. E até nadar com eles. Para lá chegar, aconselha-se a ter calçado próprio apto a solos extremamente rochosos e escorregadios. O caminho é bastante atribulado. Há cabo-verdianos a alugar Crocs no local por 2 Euros. A espécie de tubarão ali existente não é considerada perigosa. Os tubarões nadam bem perto da praia, a uma profundidade de cerca de 50 centímetros, onde se alimentam. São da espécie ‘Limão’ e geralmente são os mais novos que se aproximam. Os tubarões adultos também são por vezes avistados, mas mais ao longe. É fundamental seguir as ordens do guia para que esta seja uma experiência única e formidável em toda a sua vida.

Salinas de Pedra do Lume

As salinas de Pedra do Lume são o grande atrativo turístico da ilha do Sal. Numa parte das salinas, é possível ter uma experiência semelhante à do Mar Morto, ou seja, tomar banho e ficar a boiar. A quantidade de sal ali existente é quinze vezes superior à média dos oceanos, razão que explica o fenómeno. E tomar por ali banho é uma experiência e tanto. As salinas são as maiores da ilha do Sal e encontram-se precisamente na cratera de um vulcão já extinto. A paisagem envolvente é, por isso mesmo, inesquecível. O acesso ao complexo salinar faz-se através de uma espécie de túnel e a entrada custa apenas 5€. As salinas estão abertas diariamente, das 09h às 17:45.

Salinas de Pedra de Lume
Parte das salinas de Pedra de Lume onde é possível tomar banho
Eu, a boiar nas salinas de Pedra de Lume

Estas salinas já foram o motor do desenvolvimento económico da ilha. Foram muitos os barcos que dali saíram em tempos carregados com toneladas e toneladas de sal. Era tanto sal, que este parecia que não ia esgotar. Apesar de as salinas terem sido requalificadas em tempos, ainda é possível observar marcas do passado recente. Um bom exemplo disso é a gigantesca grua de madeira existente no local. Esta foi a grande responsável no passado pela extração do sal do local e pelo seu transporte para o porto ali perto existente. A requalificação operada nas salinas de Pedra de Lume dotou ainda o espaço de balneários com duche, um restaurante e um spa.

Extração de sal nas salinas de Pedra de Lume
Grande grua de madeira nas salinas de Pedra de Lume

Leia aqui os restantes artigos sobre a ilha do Sal, em Cabo Verde:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *