São Miguel IV – roteiro pelo vale das Furnas

O vale das Furnas é outra das regiões mais características em toda a ilha de São Miguel, a par das Sete Cidades. Na verdade, o vale é a caldeira de um vulcão entretanto já extinto e dele fazem parte uma enorme lagoa, rodeada de vegetação exuberante, diversos pequenos vulcões, campos fumarólicos e uma grande variedade de nascentes de águas termais e minerais. E são 22 as fontes de água mineromedicinais já classificadas. Pela sua qualidade, número e importância, estas fontes de água transformaram as Furnas na maior hidrópole em todo o mundo. Para aproveitar bem a zona, sugiro que comece bem cedo o dia indo descobrir a lagoa do Congro, apanhando em seguida a estrada que o levará até ao miradouro do Pico do Ferro. Dali vai poder ter um panorama único sobre todo o vale das Furnas.

Lagoa do Congro

Localizada perto de Vila Franca do Campo, e antes de chegar ao vale das Furnas, a lagoa do Congro não costuma estar nos roteiros turísticos dada a dificuldade de acesso. Na verdade, é preciso deixar a estrada principal, andar um pouco em seguida por uma outra de terra batida e depois cerca de mais um 1,5km a pé para lá chegar. O esforço é recompensado ao chegar ao local já que a lagoa é encantadora, tem pequenas dimensões e uma água muito cristalina.

Panorâmica da Lagoa do Congro

Miradouro do Pico do Ferro

É do miradouro do Pico do Ferro que se obtém a melhor vista de todo o vale das Furnas, com a grande lagoa de água esverdeada bem à sua frente, lá em baixo. Junto desta já é possível ver algumas caldeiras fumegantes. O local onde está o miradouro está rodeado de vegetação exuberante e muitas cascatas.

Vale das Furnas, vista desde o miradouro do Pico do Ferro
Lagoa das Furnas, vista desde o miradouro do Pico do Ferro

Lagoa da Furnas

A lagoa das Furnas e a sua zona envolvente, repleta de caldeiras fumegantes, devem ser visitadas de manhã, antes do almoço, para que às 12h em ponto consiga ver o processo de retirada do cozido das Furnas. Trata-se do tradicional prato de Cozido à Portuguesa, mas produzido de uma forma diferente e única pelos restaurantes locais das Furnas. Estes submergem as suas enormes panelas de cozido durante 6 horas nas caldeiras fumegantes da lagoa e usam o seu calor vulcânico para o cozer. O sabor é único. A entrada para ver de perto a lagoa é paga (0,50€ cêntimos por pessoa), aos quais deve acrescentar os custos do parque de estacionamento. Cada quarto de hora de estacionamento são mais 15 cêntimos a somar ao valor que deve pagar na saída. Do lado oposto da lagoa encontra-se a capela de Nossa Senhora das Vitórias, cujo estilo arquitectónico é neo-gótico.

Lagoa das Furnas
Caldeiras fumegantes na lagoa das Furnas
Capela de Nossa Senhora das Vitórias

Almoço no restaurante ‘Tonys’

O restaurante ‘Tonys’ na vila serve um dos melhores cozidos típicos das Furnas. Os legumes (couves, cenouras, inhame, batatas e repolhos), os enchidos (morcela preta regional e chouriço típico picante) e as carnes (de vaca e de porco – chispe, orelhas e entremeada) são cozidos, como referi acima, no calor vulcânico das caldeiras fumegantes da lagoa das Furnas. As carnes são deixadas em tempero de um dia para o outro para “tomarem o gosto”, antes de serem colocadas na panela para irem para a Caldeira. Neste cozido, destaque para o tradicional inhame, um legume muito utilizado na localidade, que surge igualmente noutros pratos locais como acompanhamento. Há quem diga também que este cozido tem um certo sabor a enxofre, mais característico e forte do que o tradicional Cozido à Portuguesa.

Contactos: 296 584 290 / 296 584 632 para reservas;

Horário: aberto diariamente a partir do meio-dia;

Morada: Largo do Teatro, nº 5, 9675-036 Furnas;

Website oficial: clicar aqui.

Cozido das Furnas, restaurante ‘Tonys’

Caldeiras, vila das Furnas

No centro da pequena vila das Furnas há um outro conjunto de caldeiras vulcânicas, de onde é possível ver esguichar água em ebulição e lamas. Todas as caldeiras aqui têm nome sendo que a mais espectacular é a de Pêro Botelho.

Panorâmica das caldeiras, vila das Furnas

Parque Terra Nostra

O parque Terra Nostra, a par da Poça da Dona Beija, é uma das experiências mais interessantes que poderá ter nas Furnas e em toda a ilha de São Miguel. O local, de sonho, estende-se ao longo de 12 hectares. O sítio está cheio de árvores centenárias e flores exóticas e tem no seu centro uma piscina constantemente aquecida entre os 35 e os 40 graus, cuja água provém de uma nascente termal férrea. Apesar de a cor alaranjada, ‘ferrugenta’, da água não ser aliciante, o banho promete ser repousante e muito relaxante. Perto do grande tanque de água termal, há outras pequenas piscinas, também elas com águas termais aquecidas. O parque foi criado no séc. XVIII, pelo comerciante norte-americano Thomas Hickling. A última grande obra de valorização do local deu-se em 1935 quando o tanque de água termal foi aumentado. O parque tem também um hotel para quem se quer hospedar diretamente no local.

Preço: 8€ por pessoa. Crianças dos 3 aos 10 anos pagam metade. Crianças até dois anos não pagam entrada;

Horário de funcionamento: Diariamente, das 10h às 18h;

Morada: Rua Padre José Jacinto Botelho, Furnas;

Conselhos: nunca abra os olhos debaixo de água. Traga um fato de banho/biquini velhos para que possam ser descartados após o banho no parque. A ferrugem da água dificilmente sairá por completo do fato de banho após lavagem;

Website oficial: clique aqui.

Parque Terra Nostra
Piscinas de águas termal no Parque Terra Nostra

Poça da Dona Beija

A Poça da Dona Beija consegue ser, a meu ver, ainda mais surpreendente do que o Parque Terra Nostra. O espaço é conhecido pelas suas indicações terapêuticas e é constituído por várias piscinas (poças) de águas termais férreas, com temperaturas que variam entre os 17 e os 40 graus. Cada piscina, são seis no total, tem um nome específico e uma temperatura diferente das outras. O local era originalmente uma nascente de água termal quente usada pelos moradores das Furnas. Mais tarde, sofreu profundas obras de requalificação, que o dotaram de várias piscinas termais. O nome do espaço deve-se à novela brasileira ‘Dona Beija’. Na história, uma das personagens era portuguesa e natural da zona das Furnas.

Preço: 4€ por pessoa. Crianças até aos 6 anos pagam 3,5€;

Horário de funcionamento: Diariamente, das 07h às 23h. Última entrada no recinto às 22:30;

Morada: Lomba das Barracas, 9675-044 Furnas;

Conselhos: à semelhança do parque Terra Nostra, traga um fato de banho/biquini velhos para que possam ser descartados após o banho no parque.A ferrugem da água dificilmente sairá por completo do fato de banho após lavagem;

Website oficial: clique aqui.

Entrada no espaço da Poça da Dona Beija

Sugestão – bolos lêvedos:

Durante a sua passagem pelas Furnas prove os bolos lêvedos. Estes são uma espécie de panquecas e podem ser consumidas sem nada ou recheadas com aquilo que quiser. Os bolos lêvedos são confecionados em sertãs de barros sobre lumes de lenha. Poderá comprá-los na vila das Furnas e um pouco por toda a ilha.

Bolos Lêvedos, D.R.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *